Recife (81) 3194-2000 / Salvador (71) 3015-1202 / Suporte (81) 3194-2020 | Horário comercial (81) 3194-2029 | Plantão

Blog

Mitos e verdades sobre a LGPD

Após quase um ano da vigência plena da Lei Geral de Proteção dos Dados, muitas controvérsias acerca do assunto ainda geram dúvidas nas empresas. Conhecer suas obrigações e direitos é essencial para evitar multas, advertências e suspensão de atividades. Confira, neste artigo, mitos e verdades sobre a LGPD. 

Como funciona a Lei Geral de Proteção dos Dados.           

A LGPD foi criada com o objetivo de assegurar aos cidadãos os direitos fundamentais de liberdade e privacidade, no que diz respeito aos seus dados pessoais. A lei regulamenta o tratamento desses dados, seja em meio físico ou digital, e as empresas passaram a ter que colocar em prática uma série de medidas para garantir a segurança dessas informações.  

A lei define os direitos legais do cidadão, também chamado de titular de dados pessoais, e a organização deve assegurar que esses direitos sejam preservados durante todo o processo de tratamento. Quando falamos em tratamento de dados, abordamos o conceito em seu sentido mais amplo, que corresponde a quaisquer atividades realizadas com as informações de uma pessoa. E, para que isso aconteça, as empresas devem divulgar, de forma explícita, como os dados pessoais serão usados e o indivíduo deve autorizar. 

As regras dispostas na LGPD trazem um novo modelo para proteção dos dados pessoais, garantindo maior autonomia ao cidadão. A vigência da lei começou em 18/09/2020 e, ainda assim, diversas empresas não estão adaptadas às diretrizes e podem enfrentar sérios problemas por isso.  

Conheça as principais controvérsias sobre a LGPD 

Nos últimos anos, as taxas de vazamento de dados foram altíssimas e trouxeram à tona um sério problema enfrentado por empresas públicas e privadas: o despreparo para garantir a segurança de informações sensíveis, como dados pessoais de clientes, fornecedores e funcionários.  

Fato que coloca o Brasil entre os países com mais vazamentos de informações no mundo, ocupando o 6° lugar. Entre os meses de janeiro e novembro de 2021, foram 24,2 milhões de dados expostos na internet, resultado de invasões e vulnerabilidades em sistemas.  

Estar em conformidade com a LGPD é uma obrigação e seu não cumprimento pode implicar em multa de até 2% do faturamento da organização, além de outras penalidades administrativas – como suspensão das atividades. Por isso, é importante conhecer a lei e acabar de vez com os mitos acerca do assunto.  

Dados armazenados em dispositivos físicos, como pen drive, não se enquadram na LGPD? 

MITO: A regra é clara, todas as formas de tratamento de dados pessoais, em meios físicos e digitais, enquadram-se na lei e a empresa deve ser transparente com o titular sobre a maneira como essas informações serão armazenadas e usadas.  

O titular pode exigir a exclusão dos seus dados pessoais do banco de dados da empresa. 

VERDADE: Mesmo que o titular tenha autorizado o uso das suas informações, a qualquer momento ele poderá solicitar a exclusão do banco de dados. Ou seja, é de direito do indivíduo revogar o consentimento e a empresa deve oferecer um canal para essa finalidade.  

A única obrigação da empresa é solicitar o consentimento do titular sobre seus dados. 

MITO: Autorizar o uso das suas informações pessoais é apenas uma das bases legais da normativa, que também aborda questões ligadas à gestão de falhas e riscos, comunicação de vazamento e a própria definição do conceito de dados pessoais.  

O titular pode pedir a portabilidade dos seus dados para a empresa concorrente. 

VERDADE: Neste caso, a pessoa não precisa realizar um novo cadastro, ela pode solicitar que essas informações sejam transferidas de uma base para outra.  

Conclusão 

A LGPD traz diretrizes obrigatórias que regulamentam a coleta, o armazenamento e o processamento de dados pessoais. O descumprimento acarreta em penalidades severas como multas e proibição, de forma parcial ou total, de atividades ligadas ao tratamento de dados.  

A lei foi criada com base na GDPR (General Data Protection Regulation), que está em vigência desde 2018 na União Europeia. Além do direito à privacidade garantida aos cidadãos, as regras servem para defender a livre concorrência e as relações comerciais.  

Com base na LGPD e nas hipóteses de coleta permitida, empresas públicas e privadas devem adotar as práticas que melhor se aplicam em seu negócio e garantir que os dados pessoais não sejam usados de forma indevida.  

Contar com uma solução completa, que auxilie nessa tarefa e que garanta sigilo total das informações é fundamental. A QOS tem em seu portfólio de Segurança da Informação uma série de serviços e ferramentas essenciais para estar em conformidade com a LGPD. 

Com QOS Concierge você protege todas as camadas da informação. Dentro ou fora do ambiente corporativo, os dados sigilosos estarão seguros contra as diversas ameaças que colocam em risco a sua segurança: ciberataques, perda, violação e roubo de dados, dentre outros. 

Esteja em conformidade com a Lei Geral de Proteção dos Dados com soluções robustas e uma equipe qualificada para auxiliar seu negócio em todos os desafios. 

Compartilhe:

Posts Relacionados

Mitos e verdades sobre a LGPD

Após quase um ano da vigência plena da Lei Geral de Proteção dos Dados, muitas controvérsias acerca do assunto ainda geram dúvidas nas empresas. Conhecer

Social Media

Mais Populares

Fique atualizado

Assine Nossa Newsletter

Sem spam, notificações apenas sobre novos produtos, atualizações.